------------------ Relação entre a taxa de internação e o tempo de permanência no ambiente hospitalar por acidente vascular encefálico no Brasil

Estudo Original

Ver autores ⯆

Objetivo: Analisar a relação entre a internação e a permanência no ambiente hospitalar por AVE no Brasil de 2017 a 2019. Método: Estudo ecológico em que a população analisada representa pacientes com acidente vascular encefálico, de qualquer tipo, no Brasil as quais houve o registro no Sistema de Informações Hospitalares do Sistema Único de Saúde (SIH/SUS). A amostra foi de diferentes faixas etárias e de ambos os sexos. Resultados: No período entre 2017 e 2019, ocorreram 472.107 internações AVE no Brasil. O ano de 2019 apresentou 162.943 internações, sendo o maior pico no período analisado. Notou-se que a taxa de internação é maior na população masculina e na faixa etária de 60 a 69 anos, representando 28%. Em relação ao tempo de permanecia, após o diagnóstico de um AVE, percebeu-se que ele é maior na infância , com pico entre 5 a 9 anos e com tempo médio para a recuperação hospitalar de 11,4 anos, no sexo feminino. Para os adultos, independente de ser masculino ou feminino o tempo médio de permanência é por volta dos 7,4 anos a partir dos 20 anos e indo até 80 anos ou mais. Conclusão: Nesse contexto, verificou-se que a taxa de internação vem aumentando, porém o tempo de permanência médio permanece constante ao longo do período de tempo analisado apresentando sempre valores próximos com pequenas variações anualmente.

bok.jpg

Cursos

Conceitos em Cirurgia Vascular

 

Minicurso de Atendimento ao Trauma por Abuso Sexual

 

Minicurso de Farmacologia da Cirurgia Vascular

 

Minicurso sobre Luto

LICIVASC 2020. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por Italo Constâncio - Algum problema no site?

beta