------------------ Comparação Entre as Abordagens Endovascular e Cirúrgica Aberta na Lesão Traumática de Aorta: Uma Revisão Sistemática

Revisão de Literatura

Ver autores ⯆

OBJETIVO: Realizar uma revisão sistemática das vantagens e desvantagens da cirurgia de reparo endovascular no trauma de artéria aorta, comparando-a com a cirurgia de reparo aberto.MÉTODOS: Foi realizada uma revisão na base de dados MedLine em Julho de 2020 com os descritores: “traumatic aortic injury",“treatment",“open repair” e suas respectivas variações no MeSh. A escala utilizada foi a prisma, sendo os critérios de inclusão estudos de acesso liberado, publicados nos últimos dez anos, excluindo os que não atendiam aos critérios de inclusão descritos acima. Dos 49 estudos encontrados, sete foram utilizados.RESULTADOS:Observa-se uma taxa de mortalidade menor quando realizada intervenção endovascular( 7,2 a 9%) em relação à cirurgia aberta(15,2 a 27%), principalmente nos primeiros 30 dias de pós-operatório. Ademais, a abordagem endovascular se mostra superior à convencional por conta da cirurgia aberta apresentar um risco de sangramento fatal associado à heparinização sistêmica em pacientes com hemorragia cerebral ou intraperitoneal, além do tempo do procedimento ser prolongado, propiciando mais complicações e maior permanência hospitalar. No entanto, uma desvantagem da colocação de endopróteses é a complicação relacionada ao dispositivo, com incidência de 20%, sendo a principal o vazamento interno. Portanto, estudos sugerem que o reparo aberto convencional deve ser considerado quando o diâmetro da aorta for inferior a 18mm ou o paciente tiver menos de 18 anos. Há uma divergência quanto às taxas de reintervenção após realização de ambas as técnicas.CONCLUSÕES: A abordagem endovascular tem mais êxito em termos de mortalidade e de complicações perioperatórias, mesmo em pacientes com maiores lesões associadas. Devido às limitações desse método, o reparo por via aberta é indicado em casos específicos. Por conta da taxa considerável de mortalidade, faz-se necessário mais estudos sobre os fatores de risco associados às técnicas, contribuindo para a redução dessa taxa.

bok.jpg

Cursos

Conceitos em Cirurgia Vascular

 

Minicurso de Atendimento ao Trauma por Abuso Sexual

 

Minicurso de Farmacologia da Cirurgia Vascular

 

Minicurso sobre Luto

LICIVASC 2020. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por Italo Constâncio - Algum problema no site?

beta