------------------ A Hipoglicemia Como Consequência Da Síndrome De Dumping Pós-Cirurgia Bariátrica

Revisão de Literatura

Ver autores ⯆

Este é um trabalho premiado

Gabriel Fragoso Peixoto

Discente,Centro Universitário Tiradentes Maceió-AL

Joel Domingos da Silva Neto

Discente,Centro Universitário Tiradentes Maceió-AL

Angelina de Fátima Guedes Silva

Discente,Centro Universitário Tiradentes Maceió-AL

Eduarda Casado Lima

Discente,Centro Universitário Tiradentes Maceió-AL

Bruna Lorenna Rocha e Silva Hermínio de Almeida

Discente,Centro Universitário Tiradentes Maceió-AL

Samir Buainain Kassar

Docente, Centro Universitário Tiradentes Maceió-AL

OBJETIVO: Relacionar a hipoglicemia resultante da síndrome de dumping tardia em pacientes que se submeteram à cirurgias bariátricas. MÉTODOS: Trata-se de uma revisão bibliográfica integrativa, na base de dados Pubmed, entre 2015 e julho de 2020, correlacionando os descritores: cirurgia bariátrica, dumping e hipoglicemia. No PubMed, utilizou-se as palavras “bariatric surgery” AND “dumping syndrome” AND “hypoglycemia” sem restrições linguísticas, com filtro de 5 anos e modelos humanos, com seleção de 3 artigos de um total de 15. RESULTADOS: Uma das consequências mais frequentes das cirurgias bariátricas é a síndrome de dumping. Este acometimento apresenta-se principalmente em pacientes submetidos à cirurgia de bypass gástrico em Y de Roux (RYGB) e em intervenções envolvendo gastrectomia parcial. Tal evidência foi relatada em estudo que notificou dumping em 40% dos pacientes após gastrectomia. O mecanismo de esvaziamento gástrico permite que uma quantidade considerável de alimento não seja digerida e atinja o intestino delgado promovendo uma rápida absorção de glicose (devido à presença de carboidratos não digeridos no intestino delgado) aumentando a liberação de GLP-1, o que exagera a resposta à insulina. Evidenciou-se através do bloqueio farmacológico do GLP-1 a sua mediação na hipoglicemia pós-bariátrica sintomática, não obstante, mecanismos adaptativos à hipoglicemia variam entre os indivíduos após o RYGB. Estudos relatam uma alta taxa de hipoglicemia assintomática (considera-se assintomática níveis apresentados abaixo de 70 mg/dL) em pacientes pós-RYGB, em um destes, 50% dos indivíduos completamente assintomáticos apresentam glicose (pós prandial) intersticial abaixo de 70 mg/dL, 33% tinham um valor abaixo de 60 mg/dL. CONCLUSÕES: Devido ao grande número de pacientes submetidos à cirurgia bariátrica, é necessário o reconhecimento da hipoglicemia resultante da síndrome de dumping, visto que, sua subnotificação reverbera em um manejo clínico deficiente.