------------------ Internações por Traumatismo Intracraniano no Estado do Pará

Estudo Original

Ver autores ⯆

OBJETIVO: Avaliar o perfil epidemiológico do Traumatismo Intracraniano, no estado do Pará, no período de 2008 a 2019. MÉTODO: Trata-se de um estudo transversal, quantitativo e descritivo. Os dados foram obtidos do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS). Enfatizaram-se as variáveis: faixa etária, sexo, raça, caráter de atendimento e internações por região metropolitana, no período de 2008 a 2019. RESULTADOS: A partir da busca no DATASUS, obteve-se um total de 47.072 internações por Traumatismo Intracraniano, estando os maiores índices na capital do estado do Pará (Belém) 14.439 (30,67%) e fora da região metropolitana 15.900 (33,77%). No que tange à faixa etária, destacam-se [20-29 anos] 12.106 (25,71%) casos e [30-39 anos] 8.629 (18,33%) casos. Quanto ao sexo, o masculino totalizou 36.526 (≅77,59%) e o feminino 10.546 (≅22,40%). No quesito raça, a mais frequente foi a parda 30.006 (63,74%) casos, havendo 15.296 (32,49%) casos com a raça não informada. Em relação ao caráter de atendimento, os principais foram o de urgência 44.287 (92,84%) e por outros acidentes de trabalho 1.498 (3,18%). CONCLUSÕES: Constatou-se que a maior parte das internações ocorreram fora da região metropolitana, sendo o atendimento de urgência o predominante. Ademais, a raça parda prevaleceu, os homens foram os mais acometidos e a faixa etária entre 20 a 29 anos perfez os maiores índices. Desse modo, torna-se evidente a necessidade de ações de educação em saúde com o intuito de prevenir este problema de saúde pública, auxiliando consequentemente na redução da incidência e da morbimortalidade.

bok.jpg

Cursos

Conceitos em Cirurgia Vascular

 

Minicurso de Atendimento ao Trauma por Abuso Sexual

 

Minicurso de Farmacologia da Cirurgia Vascular

 

Minicurso sobre Luto

LICIVASC 2020. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por Italo Constâncio - Algum problema no site?

beta