------------------ Intervenções de Enfermagem na Assistência ao Paciente Vítima de Trauma Torácico: Relato de Experiência.

Relato de Experiência

Ver autores ⯆

Este é um trabalho premiado

Gabriel Bessa Martins

Discente do 5º Semestre do Curso de Enfermagem da Universidade Regional do Cariri.

Kyohana Matos de Freitas Clementino

Discente do 5º semestre do curso de Graduação em Enfermagem da Universidade Regional do Cariri. Membro do Grupo de Estudo e Pesquisa sobre Práticas Avançadas em Saúde (GEPPAS), Grupo de Extensão APH na Comunidade e Liga Acadêmica de Enfermagem em Emergência e Terapia Intensiva (LAEETI). Bolsista PROEX.

Paula Fernanda da Silva Ramos

Discente do 5º semestre do curso de Graduação em Enfermagem da Universidade Regional do Cariri.

Rayane Moreira Alencar

Mestre em Enfermagem pela Universidade Regional do Cariri. Docente do Curso de Enfermagem da Universidade Regional do Cariri. Enfermeira do Hospital e Maternidade São Francisco de Assis.

INTRODUÇÃO: O trauma é caracterizado por uma lesão de natureza física ou química externa ao organismo, causando alterações estruturais ou desequilíbrio fisiológico, sendo o traumatismo torácico penetrante aquele relacionado às lesões por arma de fogo ou arma branda. O profissional de enfermagem tem papel fundamental no cuidado a pacientes com traumas penetrantes, avaliando a área danificada e aplicando protocolos seguros de assistência. RELATO DE EXPERIÊNCIA: As intervenções de enfermagem foram direcionadas a um paciente adulto vítima de trauma de tórax penetrante em uma unidade de terapia intensiva no interior do Ceará no período de maio de 2020. O trauma foi decorrente de perfuração por arma de fogo em região de hemitórax esquerdo. O paciente foi submetido a drenagem torácica, não sendo necessário procedimentos mais invasivos. Destacam-se as seguintes intervenções de enfermagem realizadas durante a internação: avaliação contínua do sistema respiratório, identificando precocemente possíveis complicações respiratórias; cuidados diários com os drenos de tórax, constatando funcionamento e manutenção; avaliação diária dos sítios cirúrgicos, mantendo sempre curativos estéreis; acompanhamento contínuo do controle apropriado da dor, garantindo níveis de analgesia adequados e conforto do paciente; estimulação para deambulação precoce; garantia de adequado suporte ventilatório juntamente com a equipe; e monitoramento contínuo do sinais vitais. COMENTÁRIOS: Visando a não evolução dos agravos sofridos e redução do tempo de permanência na unidade, o enfermeiro e sua equipe devem prestar uma avaliação rigorosa do tórax traumatizado com o intuito de realizar os procedimentos adequados e identificar possíveis complicações decorrentes do trauma penetrante, cumprindo-se também o acompanhamento diário e pondo em prática protocolos de assistência baseados em evidencias, com o intuito de promover uma boa recuperação e segurança do paciente.